Era uma vez

Era uma vez um cisne
Leda e Helena de Esparta
Se coçando de ciúmes pois havia ali
Uma mulher tão bela
Que movia mais de um milhão de barcos

Era uma vez a garoa
Do meu São Paulo e de Mário de Andrade
Embalando a vinda dela para a cidade
Uma visita, um olhar, uma arte

Era uma vez um beijo
Uma dança com gosto de sorvete
Uma zombaria na frente do perigo
O melhor que eu já tinha vivido

Era uma vez o amor
Era uma vez a saudade
Era uma vez o desejo

Era uma vez uma história inacabada
Um poema não escrito
Uma música sem cantor

Será uma vez um céu
Eu e ela olhando as estrelas
Trocando olhares com o infinito
Flertando com a imensidão

Será uma vez a chuva
Uma valsa com os pingos d’água
Beijos molhados
Sorrisos safados
Cômica situação

Será uma vez uma luxúria
Um vício, uma paixão
O enlouquecer de corpos, lábios
A batida sombria de um coração

Era uma vez eu e ela
Será uma vez nós

Era uma vez um final feliz

Anúncios

Um pensamento sobre “Era uma vez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s